logotipo tvi24

Criança albina morta para rituais de feitiçaria

Menina de seis anos foi decapitada no Burundi

Por: Redacção / HB    |   2008-11-17 20:59

Uma menina albina de seis anos foi morta e mutilada na província de Ruyigi, no leste do Burundi. As autoridades acreditam que este crime estará ligado a rituais medicinais, que são executados por feiticeiros que utilizam membros de pessoas albinas para fazerem alegadas poções mágicas.

Segundo a BBC o caso registou-se no último domingo e foi o último de uma série de seis, desde o mês de Setembro.

As autoridades explicaram que um grupo de pessoas armadas entrou na casa da menina. Os seus pais foram amarrados, antes da criança ter sido morta a tiro. Em seguida, o corpo foi decapitado e desmembrado.

O director da Associação de Albinos do Burundi, Kasim Kazungu, disse, citado pela BBC, que as pessoas com este problema genético nunca tinham sido discriminadas no país, até terem surgido rumores de que os seus membros eram vendidos na vizinha Tanzânia para rituais de feitiçaria.

Cerca de 50 albinos da região de Ruyigi viram-se obrigadas a fugir, com receio de serem vítimas de ataques.

Na semana passada, um homem foi detido na Tanzânia quando tentava vender a sua esposa albina a negociantes congoleses.

Partilhar
EM BAIXO: Internacional
Internacional

Sudanesa condenada à morte viaja com a filha para Itália
Meriam Yahia Ibrahim Ishag deu à luz na cadeia e com as pernas acorrentadas por ter renunciado à religião do pai e ter seguido o catolicismo
Condenado só morreu duas horas depois de levar a injeção letal
No estado do Arizona, nos Estados Unidos, que permite a pena de morte, está aberta a polémica sobre a pena capital e como esta é levada a cabo
Israel transformou Gaza num «grande Auschwitz»
Presidente da Venezuela acusa Governo israelita de crimes contra o povo palestiniano
EM MANCHETE
Ricardo Salgado detido e constituído arguido
Ministério Público confirmou a detenção e envolvimento na operação Monte Branco. Informações não confirmadas dão conta que em causa pode estar um presente de 14 milhões
«Há mais informação relevante sobre o BES que não foi tornada pública»
TAP cancela 48 voos em quatro dias