logotipo tvi24

Desfile de mulheres em topless na Austrália (vídeo)

Activistas conservadores acusaram os organizadores de tratarem a mulher como objecto sexual

Por: Redacção / AIS    |   2008-08-20 11:38

NOTÍCIA ACTUALIZADA

Dezenas de milhares de pessoas concentraram-se no centro de Auckland, na Austrália, para contemplar um desfile de trinta mulheres em topless, informa o 20 minutos.es.

As mulheres, que circulavam em motas e carros descapotáveis estavam a promover durante o fim-de-semana um espectáculo erótico. O acto foi qualificado de «pornografia» por alguns activistas conservadores, que acusaram os organizadores de fomentarem o tratamento da mulher como objecto sexual.

Alheios às críticas a maioria dos espectadores tiraram fotografias às mulheres que participaram na iniciativa «Boobs on Bikes» (Mamas em motas) chegando mesmo a subir a muros, cabines telefónicas e paragens de autocarros para terem uma visão mais panorâmica do espectáculo.

Steve Crow demorou cinco anos para organizar o desfile e promover a exposição «Erotica Lifestyles», onde as empresas do sector pornográfico exibem as últimas novidades em jogos sexuais e material audiovisual.

VEJA A REPORTAGEM VÍDEO DA TV3


VEJA UM DOS MUITOS VÍDEOS AMADORES

Partilhar
EM BAIXO: Nova Zelândia: mulheres promovem show erótico
Nova Zelândia: mulheres promovem show erótico

Histórias da Casa Branca: como lidar com a indignação?
O abate do avião é assustador. O horror de Gaza quase insuportável. O mundo está perigoso e confuso. Os americanos devem reagir ou apenas observar?
Moçambique: fim da crise depende de garantias de segurança
Líder da Renamo está escondido há vários meses
Sibéria: mais dois buracos gigantescos envoltos em «mistério»
Cientistas ainda não chegaram ao consenso sobre a formação das crateras
EM MANCHETE
BES desconvoca Assembleia Geral de Acionistas
Ações caem mais de 12% após anúncio. Banco deve acumular prejuízos na ordem dos 3 mil milhões de euros
Portugal suspende representação diplomática na Líbia
Diretores de serviço do Garcia de Orta denunciam situações graves