Tino de Rans garante que será presidente da câmara

Calceteiro da Câmara do Porto é candidato independente em Valongo

Por: Redação / AP    |   20 de Março de 2009 às 14:12
Tino de Rans, o calceteiro da Câmara do Porto que já dirigiu uma junta de Penafiel, foi vedeta de televisão e protagonista num congresso socialista da era Guterres, assumiu esta sexta-feira que é candidato independente à Câmara de Valongo e que vai ganhar, avança a Lusa.

«Vou ser presidente da Câmara», proclamou Vitorino Silva, 37 anos, assegurando que tem «o povão do seu lado» e que funciona como «um íman a que toda a gente se pode colar».

«Sou capaz de bater à porta das pessoas, de falar com elas, o que poucos políticos fazem», acrescentou, Vitorino Silva.



Foi às 11:44 em ponto - por ser o momento do ano em que o dia tem a mesma exacta duração da noite - que Vitorino Silva proclamou a sua candidatura e anunciou que os valonguenses «é que vão fazer o programa eleitoral», durante os contactos porta-a-porta que pensa efectuar.

«Onde houver pessoas, eu vou lá estar», disse Vitorino Silva 37 anos, natural do concelho de Penafiel e reside em Valongo há 14 anos.

Para a apresentação da candidatura, Tino de Rans escolheu a Rotunda do Alto da Serra, onde se encontra um grupo escultórico que simboliza a união das cinco freguesias de Valongo, que ele próprio pretende reforçar.

Eleições para a Câmara de Valongo

A Câmara de Valongo é dirigida actualmente pelo social-democrata Fernando Melo, e para as próximas autárquicas também já estão anunciadas outras candidaturas, como a do socialista Afonso Lobão e da independente ex-PS Maria José Azevedo.

«Os três devem estar orgulhosos de ir a votos com o Tino. Não se importam de perder contra o povo», afirmou o pré-candidato a este propósito.

Vitorino Silva admitiu à Lusa que a sua campanha, neste concelho de 70 mil eleitores, vai dar especial atenção a mais de 30 mil abstencionistas nas últimas autárquicas e a quatro ou cinco mil jovens que se recensearam nos últimos anos.

O pré-candidato disse que vai iniciar a recolha de assinaturas para formalizar a sua candidatura na segunda-feira de Páscoa e assegura que «vai até ao fim».

Adiantou que o seu grupo vai concorrer aos dois órgãos municipais (Câmara e Assembleia) mas não à presidência das cinco juntas de freguesia de Valongo e que vai constituir uma associação cívica designada «Temos Terra, Somos Gente».

Vitorino Silva dirigiu durante oito anos a Junta de Freguesia de Rans, Penafiel, eleito pelo PS e ficou na história deste partido quando abraçou o então líder socialista António Guterres depois de proferir um discurso empolgado.

Agora, diz, continua socialista mas deixou a militância do PS porque quer ser «um homem livre» e entende que o não pode ser integrando um partido.
Partilhar
EM BAIXO: Entrevista a Tino
Entrevista a Tino
COMENTÁRIOS

PUB
Repórter TVI: a Justiça num verdadeiro «estado de Citius»

A nova reforma do mapa judiciário está no terreno há um mês, mas o crash informático deixou os tribunais a cumprir serviços mínimos. Uma equipa de repórteres da TVI passou as últimas semanas em vários tribunais portugueses e testemunhou uma situação verdadeiramente caótica. Para se ter uma ideia, uma paragem de um mês nos processos pode atrasar uma decisão por 5 anos