logotipo tvi24

Coimbra: exigido consulado brasileiro na cidade

Estudantes e professores têm de se deslocar ao Porto ou a Lisboa para tratar de documentos

Por: Redacção / AM    |   2009-04-27 19:43

A Associação de Pesquisadores e Estudantes Brasileiros (APEB) em Coimbra reivindicou esta segunda-feira a instalação de um posto consular do seu país nesta cidade, atendendo à dimensão da comunidade brasileira que aqui estuda ou trabalha, avança a Lusa.

«Este pedido surge pela quantidade de estudantes e investigadores brasileiros que desenvolvem actividades académicas em Coimbra», disse esta segunda-feira à agência Lusa a presidente da APEB-Coimbra, Thaís Silva.

De acordo com Thaís Silva, que está a fazer o doutoramento em Sociologia na área das Relações de Trabalho, Desigualdades Sociais e Sindicalismo, no Centro de Estudos Sociais (CES) da Universidade de Coimbra (UC), o número de estudantes e investigadores brasileiros na UC, que «é muito móvel», atingirá cerca de um milhar.

«A comunidade brasileira em Coimbra é muito grande», adiantou a presidente da associação, reportando-se também aos seus compatriotas que trabalham nesta cidade.

Estudantes brasileiros têm de se deslocar ao Porto ou Lisboa

A bolseira da Fundação para a Ciência e Tecnologia alegou que os estudantes e professores brasileiros em Coimbra têm de se deslocar aos serviços consulares do Brasil no Porto e em Lisboa, o que é dispendioso e obriga, por vezes, a várias viagens para tratar do mesmo documento.

«É um transtorno», considerou.

A reivindicação da APEB foi transmitida, na semana passada em Coimbra, ao ministro da Justiça do Brasil, Tarso Genro, durante um seminário luso-brasileiro que decorreu no CES.

Nessa ocasião, o director do CES, o sociólogo Boaventura de Sousa Santos, entregou a Tarso Genro uma missiva da APEB-Coimbra, na qual esta solicitava ao governante brasileiro «ajuda institucional no sentido de interceder junto ao Ministério das Relações Exteriores de República Federativa do Brasil para que a cidade de Coimbra seja beneficiada com um posto do Consulado Geral do Brasil».

No mesmo pedido, lê-se que «se o Ministério das Relações Exteriores disponibilizasse os serviços consulares em Coimbra, através de um posto de atendimento, ficaria a comunidade brasileira aqui residente bem assistida e sem a necessidade de se deslocar para resolver assuntos e pendências pertinentes, arcando com despesas de transporte, alimentação, hospedagens e outros custos, para Lisboa ou para a cidade do Porto».

Partilhar
EM BAIXO: Coimbra
Coimbra

Governo autoriza quase 1000 promoções na PSP e GNR
O ministério da Administração Interna garante que as «promoções são necessárias para o adequado enquadramento da atividade operacional da GNR e PSP»
Portugal está preparado para enfrentar casos de Ébola
Direção Geral de Saúde garante, no entanto, que o risco de importação e propagação do vírus em Portugal é «muito baixo»
Criança que caiu de altura de 10 metros continua internada
Menino de três anos foi transferido da unidade de pediatria para a neonatologia «por necessitar de cuidados mais específicos»